Manifesto Autofágico

autofagia

Desunido. Sou solitário que se alimenta do meu próprio ódio.

O conjunto de leis sociais não mais me representa. Todos os individualismos não formam uma gente.

Só existe uma questão: Existência ou morte?

O resto é pura semiótica:

Deus é um signo;

Amor é um signo;

Estado é um signo;

Homem é um signo.

Minha poesia é cerebral e eu ainda estou vivo.


Eu não tenho escola. A ideologia dominante que me interpela subverto.

E do poeta morto eu só pego a inteligência.

Ainda assim careço da necessidade de sentido.

Entre dois nadas somente uma travessia,

Que só eu devo decidir quando parar.

Essa é a única lei. A lei autofágica.

O resto é natureza.

 

Anúncios