Castidade – Lavoura

castitas
Kuisheid (Castitas) (1560) –  Cornelis Cort

Jorra água na terra do hortelão.

Sua ceifa é fruto de uma sintonia natural.

Sábio que é entende os sinais:


Os frescos suspiros do vento,

As viradas repentinas do ar,

A umidade que antecede as torrenciais.


Enquanto o inexperiente cava o poço

Atrapalha-se no trabalho duro

E antinatural


O hortelão retarda o plantio

Sabendo que a terra

Encerra em si

A sabedoria da espera.


Enquanto o megalômano rompe barragens,

Muda o curso dos rios,

Dos arroios e riachos.


O hortelão assenta a semente

Na terra preparada,

Que espera, em êxtase,

A chuvarada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s