Luxúria – Abatedouro

É preciso ser muito primário para achar que o sexo é um ato físico.

(Millôr Fernandes)

luxuria
Luxuria (Lust) (1558) – Pieter Van Der Heyden

Inculto corpo fálico

Corta a carne virgem

Com a lâmina selvagem

Dos instintos mais profundos.


Uma vaca procriadora

Muge num paroxismo involuntário

Enquanto sangra.


Na sala fria e insalubre,

Escorrem líquidos distintos,

Das entranhas de ambos.


Um odor di femmina,

Que dilata os olhos,

Estoura as veias

Num arfante gozo

Do macho que come.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s